Então é assim, e agora? Já estávamos alocados no prédio do Samuca, a escola precisaria de um nome, o sugerido pelo professor Monte foi " J. Baptista", ..mas isso vale um parágrafo:

       O professor Jackson queria que fosse Academia Pit Bull, e sugeri que fosse uma feita uma alusão aos mestres da sua história. abaixo segue o diálogo, a escola saiu do prédio do SAMUCA, chegou a funcionar na 4ª rua da cidade alta, mas acabamos alugando um prédio próximo a pracinha da sonda, vizinho a um prédio que já foi revenda de motos e até danceteria. Eu ficaria com a parte administrativa e algumas aulas e o professor Jackson com as demais, pois já era faixa roxa na época e graças a minha evolução e a confiança do professor estava ali a frente, fazendo a cobranças de mensalidades, aulas para crianças e adultos, o professor a época estava com uns problemas particulares e foi um momento dificil para nossa escola, mas mesmo assim prosperávamos.

Abaixo um diálogo engraçado sobre o nome da escola.

- Prof. Jackson : Pit Bull um bom nome ; 
- Prof. Monte: Não seria melhor J. Baptista?;
- Prof. Jackson : Porque J. Baptista?;
- Prof. Monte: Para fazer alusão ao mestre Arderbal Baptista;
- Prof. Jackson : Hum?! mas e esse  "J"?;
- Prof. Monte: Respondi , é do seu nome Jackson, oras (risos);e
- Prof. Jackson : Hum!! Jackson também riu.

e assim ficou o nome da sua escola, a curiosidade é que apesar do nome do mestre ser BA"P"TISTA,.. quando enviado nome a CBJJ, o professor mandou como BATISTA , sem o "P", e assim ficou.



foto: Vemos as logomarca na parede ladeada dos dois mascotes, o Índio e o Javali.


A simplicidade da primeira logomarca, que logo viraria estampas das camisas da escola.


O segundo passo foi bolar uma logomarca, inspirado em um arm lock, criei uma elipse com dois bonecos dentro dessa elipse, com o nome da equipe e assim, nasceu o símbolo.


O ÍNDIO " CACIQUE".

                    O Índio surgiu de uma crença do professor Jackson que ele seria no Jiu Jitsu como um cacique  do Jiu Jitsu em toda região, fato que concordei e realmente faz sentido e logo esse mascote se juntava a elipse na parede da escola.


O CATITÚ " JAVALI"


 Este mascote surgiu da força que o Javali estar no grupo, na confiança que o grupo tem no líder, o líder que tem condições de levar todos a alcançar o objetivo, muitos diziam põe a onça, devido a selva, eu falava: " Olha quando os javalis vem pela selva só se ouve a quebradeira, e até mesmo a onça sobe nas arvores para fugir do grupo, outra coisa significativa é a seleção do grupo" .

Outra analogia era: Aqueles que caem e ficam pelo caminho, não chegando onde o grupo vitorioso chega , são comparados com os"creontes" , integrantes fracos, são javalis doentes que ficam pelo caminho e virão comida de onça. Os mais fortes chegam ao final e cada um do grupo protege o outro tornando assim o grupo cada vez mais forte.


        Logo este dois mascotes que surgirão simultaneamente em 1997, se não me falha memória, estavam ladeando a elipse na parede da escola, e assim terminamos esse capítulo.


Quer estudar com uma escola tradicional que já está no mundo da arte suave desde 1998?



Clique abaixo e marque sua aula experimental.








Escrito por : Wellington Monte – Professor Faixa Preta 4º Grau.