Fuzileiros Navais e o início do Jiu Jitsu.


       De Sada Miyako até Luiz França Filho.


    O Início começa com Sada Miyako, um náufrago sendo salvo pelo navio escola da marinha brasileira nas ilhas Walker, e depois das Honrarias em terras nipônicas a marinha brasileira, os instrutores Japoneses " Sada Miyako e M. Kakiora " retornaram ao Brasil, para ensinar aos oficiais Brasileiros e Jiu Jitsu, e estas aulas começaram na ilha de Villegagnon.

  
     Um fato curioso é que o Jiu Jitsu seria usada como forma de disciplinar os marinheiros, pois havia muitas revoltas dentre os marinheiros a época. 



    Outro fato curioso foi a defesa por parte de um comandante da marinha de nome desconhecido, opinando que não seria necessário aprender o Jiu Jitsu pois a capoeira seria muito mais eficiente e o  que levou tempos depois a um duelo Jiu Jitsu X Capoeira, mas isso abordaremos em outra matéria.




    Portanto, segundo as fontes selecionadas para este estudo, a chegada do jiu-jitsu ao Brasil se deu, num primeiro momento, pela vinda de dois lutadores japoneses, Sada Miyako e M. Kakiora, cuja função era ensinar as técnicas dessa arte marcial aos marinheiros brasileiros em 1908. Já nesse período as autoridades militares pareciam perceber nessa modalidade a possibilidade de promover a disciplina e o respeito às hierarquias, estimular a organização racional e incrementar a capacidade física dos marinheiros. 

     Lembro que esta conotação de " chegada do jiu jitsu ao Brasil " , desta matéria leva em consideração apenas personagens que derem aulas, pois existem vários relatos de inúmeros lutadores " que executavam lutas, geralmente marinheiros , advindo de várias nacionalidades,  que realizavam desafios inter estilos, boxe, capoeira, luta livre , entre outros. Estes não estão aqui neste texto reconhecidos como precursores da entrada do Jiu Jitsu em terras tupiniquins. 

         
     Luiz de França Júnior



          Luiz de França Filho, conhecido como “Luiz França”, nascido em 2 de junho de 1910, no estado de Alagoas, ingressando na Marinha do Brasil em 1932 com 22 anos, serviu como militar Fuzileiro Naval. 

          Existe relatos que o cabo França, aprendeu com Maeda e outros seguimentos não registrados formalmente na Marinha do Brasil, é um lado obscuro da história, pois haveria aprendido Ju-Jutsu, mas não existe documentações que Maeda teria sido contratado pela Marinha para ministrar essas aulas.

            Existem relatos não documentados que  Mitsuyo Maeda foi convidado para ensinar um grupo de militares da Marinha do Brasil técnicas de auto defesa, já que era profundo conhecedor de uma arte marcial completa em todos os sentidos e extremamente eficiente no combate militar.

            O cabo Luiz França, se destacou no aprendizado entre os os fuzileiros navais, com os conhecimentos técnicos, e filosóficos desta arte, representando muito bem os conhecimentos da Defesa Pessoal ensinada pelos instrutores Japonêses.

Luiz França e as comunidades carentes.

            Com todo esse conhecimento adquirido, Luiz França passou então a ensinar a arte como forma de defesa pessoal para as forças armadas e também para a população carente da Zona Norte do Rio de Janeiro, onde abriu uma das primeiras academias de Jiu Jitsu, do Brasil.

Clique e se cadastre.







Escrito por: Wellington Monte - Prof Faixa Preta 4º Grau.



#bullying #jiujitsukids # brazilianjiujitsu #pequenosamurai #montejiujitsu #monte_team 

        


Postar um comentário

0 Comentários