Esporte Olímpico, a morte dos atletas, JIU JITSU olímpico, nunca se Deus quiser.



As Olimpíadas tira a arte da mão de quem ama e entrega na mão dos políticos e cartolas.

          Assim como  no futebol, e outros esportes os atletas saem de cena e entra em cena, grandes patrocinadores que sugam os atletas naquele curto período, e depois todos são esquecidos, a modalidade é pulverizada de forma desordenada com vários projetos sociais onde o professor ganha pouco ou quase nada e o criador do projeto recebe uma super verba, que nunca chega ao professor. Emfim , querer colocar o jiu jitsu neste patamar não vai agregar nada. 

          Um exemplo de sucesso é o surf, com seus WCT, etc. Empresas privadas e atletas vivem realmente do esporte, onde o mérito do atleta tem visibilidade não só nos períodos olímpicos.

          Muitos textos foram escritos recentemente apontando motivos pelo qual o Jiu Jitsu não pode, por enquanto, ser incluído nas Olimpíadas, Tais motivos passam pela ausência de uma entidade mundia que organize todo o processo, o caráter “complexo” do Jiu Jitsu aos olhos leigos, que não se interessam por assistir lutas de 10 minutos de paleja, não entendendo bem as regras do esporte como as disputas por pegada, distribuição de peso, etc.

         Adicionaria à lista de razões para o Jiu Jitsu ainda não ter condições de ser Olímpico o fato de o esporte ainda ser quase que exclusivamente brasileiro se analisarmos seus vencedores em 24 anos de Mundial IBJJF, 230 medalhas de ouro foram distribuídas na faixa preta masculina, mas apenas cerca 10 para não brasileiros , BJ Penn em 2000 e Rafael Lovato em 2007 e outros mais recentes.

        Uma das maiores críticas dos atletas de Jiu Jitsu é a falta de apoio. Patrocínios quase não existem, são raros torneios com boas premiações. Muitos acreditam que ter o Jiu Jitsu nas Olimpíadas mudariam esse cenário. O que é uma mentira.

          Muitos falam em Bolsas atletas* o que é uma falácia também, além de muito difícil o cadastro, a escolha e distribuição desse recurso. Mas muita gente do próprio jiu jitsu e de outras modalidades usam este pretexto como chamariz para atletas desavisados, que são enganados , sonhando em ganhar uma bolsa.*breve uma matéria sobre Bolsa atleta.

          A delegação brasileira nesta ultima Olimpíada contou com quase 500 atletas, e sabemos que muitos deles passam pelos mesmos problemas financeiros que os atletas de Jiu Jitsu. 

       Por exemplo, nenhum dos 10 boxeadores que disputaram o Pan (incluindo os medalhistas Esquiva Falcão e Yamagushi Falcão) possuíam patrocínios. William Muinhos, esperança de medalhas no Pentathlo, mora com a avó e sobrevive do Bolsa Atleta. 

         Até o campeão Olímpico em 2012 Arthur Zanetti ameaçou competir por outro país em 2016, cansado da falta de apoio ao esporte no Brasil.

        Espero sinceramente que nossa arte marcial nunca trilhe o caminho olímpico, essas vantagens decantadas por cartolas e políticos, não chegaram na ponta da linha,  e só visam a captação de recursos e seus desvios. 

      O jiu jitsu arte marcial é uma ferramenta de inclusão social, nós envolver com o ciclo olímpico, jogaria nossa reputação no lixo como as federações do futebol, natação, voley , judô e outros mais , envolvidas em escândalos envolvendo seus dirigentes com desvios de verba, não se enganem esse EL DOURADO nunca chegará para professores e atletas,  não nos tornando olímpicos.

Wellington Monte




Postar um comentário

0 Comentários